quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Relações

Relações. Neste mundo não há um só ser humano que sobreviva sem relações. Sem se relacionar com o outro. Quer sejam relações com o da mesma espécie, quer sejam relações com o meio ambiente que o rodeia e do qual ele não prescinde, essas são necessárias para a sua sobrevivência e sua evolução, como animais e pessoas que somos. Dependemos dos outros e os outros dependem de nós. Não que essa dependência seja interpretada como sendo de uma maneira obsessiva, pois não é disso que se trata (embora muitas vezes aconteça). Trata-se sim de uma dependência a nível cooperativo, de modo a criar uma sociedade estável, justa e prestável para toda a humanidade, e também de uma dependência emocional e/ou sentimental, de modo a melhorar-nos como pessoas, a crescermos como tal e a descobrirmos o que de mais belo há no mundo. Quanto ao último tipo de dependência que referi (é bem possível que hajam mais, mas só me recordo destes agora), as melhores relações que se podem estabelecer são as de amizade e as de amor. São estas que fazem mover o mundo e que dão muito mais significado à nossa simples existência. Bem, dependentes ou não (isto pode variar com as perspectivas) todos nós estabelecemos relações ao longo da nossa existência, e embora não percebamos no início, pode-se sempre concluir que são muito importantes na nossa vida e para a construção do nosso ser. E como dizia R. Maggiori:
“Mais uma vez se vê: eu estou desde sempre com o outro”.

6 comentários:

Madamefala disse...

é verdade: nunca se está sozinho completamente, pois despedaça-se e cada pedacinho deixado no outro se faz uma companhia.

Linda reflexão viu?adorei!

Dreama disse...

Nunca estamos sozinhos, e acho que todo o ser humano por mais arrogante que seja tem medo de estar sozinho... ainda arrisco mais a solidão é para mim o maior medo da raça humana...
Não ter alguém com quem partilhar as alegrias, as tristezas, as emoções, tudo deve ser a coisa mais escura d mundo...
=)

urtigax disse...

Da maneira que escreves percebo que nao tas sozinha. da maneira que falas vejo que tas acompanhada por amigos. e uma pessoa nunca se pode esquecer que ta acompanhada.
pronto eu revelo nao acho justo escrever isto e nao revelar quem sou. eu partilho o mundo contigo e ainda bem que assim o é. ja lá vão tres meses que partilhamos este nosso amor, e alegro-me de saber que contribuo e continuo a contribuir para a tua vida.
continuo a lamentar a forma como nos começamos a dar... mas depois de tudo isso o importante é que estamos aqui os dois a fazer a vida do outro o melhor possivel...
bj enorme de quem te ama :)

Rose disse...

Bem sara, querida amiga, obrigada pelo magnífico comentário ao meu texto...e devo dizer q o final até a mim me surpreendeu :')

encontrei uma esperança no meu coração, um brilho no meu olhar =)

e sim, essas relações de q falas são o ponto de partida para a nossa vida mas n há relação mais enriquecedora do que aquela q temos com nós próprios...

sempre cm um espírito crítico brilhante *.*


bjinho amiga :')

mímica disse...

Concordo com a Dreama. O maior medo do Homem é estar só. Pelo menos, é o meu grande medo.
Não me quero imaginar totalmente só no mundo, apesar de estar rodeada de gente...
Sou uma pessoa solitária, mas tb gosto de saber que sempre que eu quiser terei sempre alguém com quem partilhar as minhas coisas.
Aliás, é o convívio com os outros que me faz ter a certeza de que existo e de que sou um ser humano...

Dilemas&Chocolate disse...

Por muitas teorias feministas que tenha, e de muitas vezes descofiar dos homens... Acho que sem o amor não conseguiria estar bem...
Mas sinceramente as minhas amigas para mim valem mais que um namorado