quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Luta contra o racismo

Recebi o seguinte texto via e-mail e achei deveras interessante e justo.
«A situação que se segue aconteceu num voo da British Airways, entre Joanesburgo (África do Sul) e Londres. Uma mulher (branca), de aproximadamente 50 anos, chegou ao seu lugar em classe económica. E viu que estava ao lado de um passageiro negro. Visivelmente perturbada, chamou a comissária de bordo. -'Algum problema, minha senhora?' - perguntou a comissária. -'Não vê?' - respondeu a senhora -'Vocês colocaram-me ao lado de um negro. Não posso ficar aqui. Tem de me arranjar outro lugar.' -'Por favor, acalme-se!' - disse a hospedeira -'Infelizmente, todos os lugares estão ocupados. Porém, vou ver se ainda temos algum disponível'. A comissária afasta-se e volta alguns minutos depois. '- Senhora, como eu disse, não há nenhum outro lugar livre em classe económica. Falei com o comandante e ele confirmou que não temos mais nenhum lugar nem mesmo em classe económica. Temos apenas um lugar em primeira classe'. E antes que a mulher fizesse algum comentário, a comissária continua: '- Veja, não é comum que a nossa companhia permita que um passageiro da classe económica se sente na primeira classe. Porém, tendo em vista as circunstâncias, o comandante pensa que seria escandaloso obrigar um passageiro a viajar ao lado de uma pessoa desagradável'. E, dirigindo-se ao senhor negro, a comissária prosseguiu:'- Portanto, senhor, caso queira, por favor pegue na sua bagagem de mão, pois reservamos para si um lugar em primeira classe...' Todos os passageiros que, estupefactos assistiam à cena, começaram a aplaudir, alguns de pé.»

'O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons...' Martin Luther King

7 comentários:

Martim disse...

ainda há pessoas correctas neste mundo e que sabem que as diferenças sao simplesmente visuais e nao de outra indole...
adorei...:)
beijos

nile santos disse...

Oi amiga.Gostei de ler o texto publicado.Acredito que o racismo é para pessoas mesquinhas que sabem a diferença de igual para igual e não aceitam.bjtos.Nile.

Dreama disse...

Eu por acaso já tinha recebido esse mail... Felizmente é um história que demonstra que ainda há pessoas correctas... Esperemos que mais gente siga o exemplo!

ov disse...

olá, ainda bem que colocaste este texto no teu blog, para que mais gente veja e pense...
o teu blog é muito bonito.
parabéns

mímica disse...

Quando li este episódio pela 1ª vez, chorei. Porque é lindo e só demonstra que há pessoas bondosas neste mundo.
Fica aqui uma música da cantora Janis Ian, que fala dum amor bi-racial. Esta música fez furor na década de 70 e causou muita polémica, chegando mesmo rádios a proibi-la com medo da reacção dos racistas.
Janis escreveu e compôs esta música quando tinha 14 anos.
Vale a pena ouvir e fica aqui a letra:

Come to my door, baby,
face is clean and shining black as night.
My mother went to answer, you know,
and you looked so fine.
Now I can understand your tears and your shame.
She called you "boy" instead of your name.
When she wouldn't let you inside.
When she turned and said
"But honey, he's not our kind."

She said I can't see you any more, baby.
Can't see you anymore.

Walk me down to school, baby.
Everybody's acting deaf and blind.
Until they turn and say
why don't you stick to your own kind.

(Not sure about the rest of this verse. It sounds to me like)
My teachers all laugh, they smirk and stare.
Cutting deep down in our affair.
Preachers of equality. They say "Believe us"
but why won't they just let us be?

They say I can't see you anymore, baby.
Can't see you anymore.

One of these days I'm gonna stop my listening,
Gonna raise my head up high.
One of these days I'm gonna raise my glistening wings and fly.
But that day will have to wait for awhile.
Baby, I'm only society's child.
When we're older things may change.
But for now this is the way they must remain.

I say I can't see you any more, baby.
Can't see you anymore.
No, I don't wanna see you any more, baby

ov disse...

olá a todos os que comentaram e concordam.
mas, desculpem, tenho que dizer isto: o texto da Sara não se refere a pessoas bondosas (a hospedeira?), mas a pessoas más e racistas, a passageira.
Não foi bondade dar o lugar ao senhor negro, ele precisava dele para não ter que conviver com alguém tão mau!!!!!!!!!
o castigo dessa pessoa foi ficar no seu lugar, sabendo que estava isolada porque as pessoas se manifestaram contra ela.
espero que ela se tenha sentido realmente mal.
se eu fosse optimista, diria que talvez ela pensasse que talvez estivesse errada, mas neste caso não sou.
E já agora, em resposta à mímica, aqui ficam os links que explicam a canção, a letra e o vídeo:
http://en.wikipedia.org/wiki/Janis_Ian
http://www.mp3lyrics.org/j/janis-ian/societys-child/
http://www.youtube.com/watch?v=tOmCyxwdPSc
... e já agora, pensem que dantes também havia pessoas a pensar assim, não são só vcs... :)

Mais uma vez, parabéns Sara.
e desculpa abusar... :)

Mel disse...

Porque é que existem pessoas assim ainda ? --' sou racista contra os racistas e este texto deu-me ódio de início... o final foi mais que bem pensado !

beijo*