quarta-feira, 7 de julho de 2010

Leva-me...

Passa, respira
E aperta.
Este tempo já não vira,
Este tempo já não acerta.
E enquanto canto esta lira
Minha alma move-se
Inquieta.

Vem, apanha
E leva contigo
Tudo o que se encontrar no caminho,
Tudo o que vier de mansinho,
Tudo o que em mim desperta
E sobe devagarinho,
Como o tecer da aranha,
No meio desta saudade
Tamanha.

Passa, expira
E segue.
Pega na minha mão,
Sopra as palavras para dentro do coração.
Não preciso de mais nada
Porque te sinto
meu Anjo da Guarda.

Vem, surge,
Neste pedido que urge,
E leva-me
Por um segundo apenas,
Por um entre dezenas,
Se for essa tua vontade
De também matar
Essa coexistente saudade.

4 comentários:

mímica disse...

Lindo! :D

MaFaR disse...

Quantas vezes precisamos das asas de um Anjo que nos proteja!

Bjins

soggyscheme disse...

bonitas palavras. tens aqui um espaço agradável de se ler, de se passar.

TITA disse...

O anjo é sempre aquele que nos leva mais longe sem que nós tenhamos dado conta disso.Se calhar,já te levou e só mais tarde o poderás perceber...Belo pedido,filha.