segunda-feira, 28 de junho de 2010

Pegadas na areia


Uma noite eu tive um sonho...
Sonhei que estava a andar na
praia com o Senhor, e através do
Céu, passavam cenas de minha vida.
Para cada cena que passava, percebi
que eram deixados dois pares de
pegadas na areia; um era o meu e o
outro do Senhor.
Quando a última cena da minha vida
passou diante de nós, olhei para trás,
para as pegadas na areia, e notei que
muitas vezes no caminho da minha vida
havia apenas um par de pegadas na areia.
Notei também que isso aconteceu nos
momentos mais dificeis e angustiosos
da minha vida. Isso aborreceu-me deveras,
e perguntei então ao Senhor:
"Senhor, Tu me disseste que, uma vez que
eu Te resolvi seguir, Tu andarias sempre
comigo, todo o caminho, mas notei que
durante as maiores atribulações do meu
viver havia na areia dos caminhos da
vida, apenas um par de pegadas.
Não compreendo porque nas horas
em que eu mais necessitava de Ti,
Tu me deixaste".
O Senhor respondeu:
Meu precioso irmão, Eu amo-te e jamais
te deixaria nas horas da tua prova e
do teu sofrimento.
Quando vistes na areia apenas um par
de pegadas, foi exactamente aí que
EU CARREGUEI-TE EM MEUS BRAÇOS"

Mary Stevenson ou Margaret Fishback Powers
(a autoria divide-se entre as duas senhoras,
não se sabendo ao certo qual delas é a original autora do poema)

2 comentários:

Labios de Mel disse...

Tenho sempre comigo um postal com o poema das "pegadas na areia"...as suas palavras são como um balsamo para a minha vida.

BOA ESCOLHA!!

Beijinhos

mímica disse...

O últimos versos são mesmo lindíssimos! Apesar de não acreditar muito em Deus, gostei bastante do poema!