sábado, 23 de janeiro de 2010

Milagres

Será que existem milagres?
Serão esses simples fenómenos da ciência? Ou factos inexplicáveis?


O que é facto é que, tendo em conta a situação actual do Haiti, têm surgido inúmeros casos de pessoas que sobreviveram face às probabilidades que contrariam essas hipóteses. E a ciência não consegue explicar o ocorrido.
-
Sem comer, o corpo consegue aguentar muito mais que uma dezena de dias, desgastando as gorduras e outros constituintes que possuem uma componente energética, mas se essa subnutrição extrema estiver aliada a uma inexistente ingestão de líquidos, nomeadamente de água, um ser humano não resiste mais de uma semana. Ou assim se supõe.
-
Mas as buscas terminaram hoje, pois, oficialmente, já não se espera que haja sobreviventes. No entanto, se nestes dias surgiram casos desses que trazem uma nova esperança, não será de pensar que ainda agora possa haver novas situações? Nem que fosse uma simples gota num mar negro. E já não há nada que possa ser feito para trazer de novo à vida aqueles que ficaram debaixo dos escombros. Apenas se partilha a dor, aquela que surge quando imagens horrendas aparecem no ecrã da televisão, apenas se tenta consolar e tratar daqueles que vivem na miséria agora, apenas se tenta erguer de novo um país, pedra a pedra, pessoa a pessoa.
-
E tudo isto fez-me questionar se os milagres existem. O caminhar sobre a água, um toque que cura magicamente uma doença incurável, uma fé que traz bonanças, entre outros, são habitualmente associados à Igreja, talvez porque é esta a instituição que os comprova ou os nega.
Mas por toda a parte, por questões religiosas ou não, independentemente do tempo e das culturas existentes, estes fenómenos ocorrem e isso é inegável. E serão sempre bem-vindos em tempos de catástrofe, como a que mencionei, para além de outros tempos mais cinzentos e pesados, assim como nos bons momentos também.

3 comentários:

Rafa disse...

Olá...
Antes de mais, o que é um milagre? O conceito é muito abrangente e fácil de enquadrar em contextos diferentes.

Sobre o que se tem passado no Haiti, muitas vezes se tem dito a palavra "milagre". Não existe qualquer milagre nos casos destes sobreviventes. Existe sim, uma determinação em continuar a viver por parte destas pessoas que ficaram encurraladas entre os escombros.

Em todo o lado, apenas se ouve falar em milagres. Mas ainda não ouvi falar na determinação que estas pessoas tiveram em manter-se vivas durante este tempo.

Mas eu não sou crente. Não acredito em deus algum, nem em religião alguma. Quer isto dizer que não quero ferir susceptibilidades.

É a minha primeira visita ao blog. Mas gostei. Gosto do tom reflexivo.

mímica disse...

Concordo com o Rafa! O que acontece é que estas pessoas estão mais que habituadas a sofrerem as maiores adversidades. A não terem muito que comer e que beber. O corpo deles desenvolveu anticorpos de defesa contra as catástrofes. Nós, que temos comidinha a toda a hora e muitos sofrem de obesidade, bebida, roupa quente, um tecto onde morar, não temos esta força que eles têm. Se fôsse com um de nós, do mundo dos ricos, não conseguiríamos sobreviver.

Gaara disse...

Concordo com o que foi dito, não "acredito" que sejam milagres. Milagre define-se como um acontecimento sem explicação científica e associado várias vezes a Deus mas isto tudo é explicado pela vontade de viver deste povo e também porque já estão habituadas a adversidades(infelizmente)...